Comunicamos aos nossos leitores/colaboradores que já se encontra disponível a versão digital do número 34 da Revista Anos 90, publicação do Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS, apresentando o Dossiê “História Indígena na América”. Para acessá-la, clique AQUI.

Revista Anos 90, v. 18, n. 34 (2011)
Dossiê História Indígena na América
Número organizado por Eduardo Neumann

  • Entre las tipologías políticas y los procesos sociales: elementos para el análisis de los liderazgos indígenas. (Guillermo Wilde)
  • Identidades e políticas coloniais: guaranis, índios infiéis, portugueses e espanhóis no Rio da Prata, c.1750-1800.  (Elisa Frühauf Garcia)
  • Limites turvos, objetos fugidios, identidades inconstantes: as populações indígenas na etnohistoriografia dos Andes Meridionais. (Ricardo Cavalcanti-Schiel)
  • A rebelião de Ñezú: em defesa de “su antiguo modo de vida” (Pirapó, Província Jesuítica do Paraguai, 1628). (Paulo Rogério Melo de Oliveira)
  • El sistema misional en jaque: la reclusión femenina en las reducciones jesuíticas de guaraníes. (María Elena Imolesi)
  • Séculos de história indígena no coração da América do sul: os chiquitano no (atual) oriente boliviano. (Giovani José da Silva)
  • Representações das sociedades indígenas nas fontes históricas coloniais: propostas para o ensino de história. (Susane Rodrigues Oliveira)
  • Os indígenas na província de São Pedro: entre práticas e discursos. (Karina Moreira Ribeiro da Silva Melo)
  • A história em As vítimas do bugre, ou como tornar-se bugre na História. (Soraia Sales Dornelles)
  • A luta pela terra em território Kaingang: os conflitos na terra indígena Xapecó (sc/brasil) ao longo do século XX. (Carina Santos de Almeida, Ana Lúcia Vulfe Nötzold)
  • Do Fetichismo à Idade Positiva: apropriação territorial e política indígena no Rio Grande do Sul da Primeira República (1889-1925). (Marcio Both)
  • As culturas indígenas e a nação: negação ou valorização? A imagem do indígena construída pelo indigenismo mexicano pós-revolucionário na primeira metade do século XX. (Gil Antonio)

Artigos

  • José Martí e o liberalismo: a trajetória intelectual de um exilado cubano no México. (Jorge Eschriqui Vieira Pinto)

Resenhas

  • Pueblos Indígenas. Interculturalidad, Colonialidad, Política, compilado por Liliana Tamagno (Buenos Aires: Biblos, 2009). (Horacio Miguel Hernán Zapata)

.

1 Comentário em “Nova edição da Revista Anos 90, Dossiê “História Indígena na América”

  1. Sugiro como artigo para refletir sobre a descolonização que precisa se fazer presente no nosso cotidiano mais do que urgente!!

    Castro, Gómez. Ciências Sociais, violência epistêmica e o problema da “invenção do outro”. No livro a colonialidade do saber, eurocentrismo e perspectivas latino-americanas. Edgar Lander(org), 2005

    Me ajudou muito!!! Qualquer espaço que se pretende emancipador e não considerar no seu cotidiano as posições e visões de mundo dos vários povos indígenas é em si colonizador. Então quando lutam para ter em qualquer propaganda uma imagem dos negros teriam que colocar em todos os espaços simbologias que contemplem também todos os povos indígenas e não somente “india(o) alegórico(o)” de pena e tanga. As uni-versidades são a colonização, o machismo, o racismo, o elitismo (classismo), a homofobia, o nazismo institucionalizado, assim como as escolas, prisões e tudo mais que está por aí . Mas são nesses espaços também que podemos pensar e agir (não sem muitos conflitos e dor) em busca da descolonização.
    Percebo como as pessoas tem medo de perder os seus cargos, as suas posições confortantes e confortáveis nas instituições colonizadoras e por isso mesmo deixam de agir no dia-a-dia sempre com medo de colocar essas reflexões (pois incorre também em perder o pescoço) que mechem muito mais profundamente com a colonialidade toda que está por aí e que querem que nós sigamos cegamente. Sim querem indígenas na uni-versidade: as(os) docilizadas epistemicamente, corporalmente, ideologicamente, indígenas missionárias(os), pastoras(es), etc. São essas(es) indígenas que querem na uni-versidade!!

    Abraços

    Mar Quixelô

Comentários encerrados.